Canal Celta: Neodruidismo

8.4.07

Neodruidismo


e entre os europeus do continente o Movimento Renascentista conduziu em geral um reviver da antiga cultura greco-romana para os lados das ilhas britânicas sob sua influência houve ao lado disto um início de resgate do legado céltico que virou tendência mais tardiamente mesmo após do Renascimento ter tido seu fim historicamente.

Assim, nestas voltas inesperadas que o mundo dá na ordem dos eventos, o druidismo acabou ´ renascendo´ involuntariamente a partir do Século XVII pelas mãos do antiquário e escritor John Aubrey ( 1626/1697 ) que difundiu a idéia de que Stonehenge e outros sítios megalíticos como de Tower Hill, Primrose Hill e outros eram templos druídicos .

A idéia de Aubrey caiu com uma luva principalmente para a alta elite inglesa que se ressentia pelo fato do então emergente Império Britânico não poder ostentar o fato que seus antepassados tivessem criado algo tão portentoso arquitetonicamente como as pirâmides do Egito, o Partenon da Grécia e etc de modo que foi uma questão de tempo para tanto toda uma aura romântica e intensamente mística fosse estabelecida ao redor dos druidas quanto uma enorme curiosidade despertada de como seriam as cerimônias druídicas e seus conhecimentos.

Ocorre que como os druidas não deixavam registro escrito do que faziam e nem havia sobrado vivo algum remanescente do druidismo, salvo talvez na sua forma corrompida de superstição popular e charlatões , toda esta expectativa criada sobre o tema caí no vazio e gradualmente abriu-se mais espaço para especulação de hipóteses mirabolantes onde até lendas arturianas surgiam no meio.

Mesmo com tamanha falta de evidência termina-se criando em 1781 a ´Antiga Ordem dos Druidas´ como uma sociedade secreta que depois evoluiu mais publicamente para uma organização de socorro mútuo dos aos seus membros do mesmo modo como ocorreu como a maçonaria, iluminat e rosa-cruz .

Eis que surge na esteira destes acontecimentos a figura exótica de Edward Willians(1747/1826 ), também conhecido como Iolo Morgannwg , que anuncia o descobrimento do um manuscrito apócrifo medieval ( o Barddas ) e outros documento até mais antigos onde estaria prescrito todo o conhecimento druídico, suas cerimônias e etc.

Não tardou para que em 1819 Edward Willian com base nestas ´´descobertas´´ criasse uma associação com a National Eisteddffod do País de Gales que ganhou um grande prestigio e reunindo grande número de membros da alta sociedade que devidamente ´´vestidos como druidas´´ buscaram reviver os antigos rituais druídicos em Stonehenge na datas de cada solstício e equinócio durante o ano.

Muitas outras ´´ordens druídicas´´ foram criadas dali em diante, seja mesmo em dissidência ao grupo de Edward no País de Gales e principalmente em virtude de regionalismos , o que fez difundir o druidismo para Escócia, Irlanda, Inglaterra e etc . Porém, o processo de expansão do druidismo sempre foi focalizado nas classes mais altas da nobreza e burguesia do que entre o zé-povinho.

Tudo até aí corria bem e o druidismo parecia que ressurgia magicamente das cinzas depois de séculos, só que ocorre de que os manuscritos eram uma fraude e para piorar os sítios megalíticos que Aubrey imaginou como contemporâneos dos druidas eram na verdade construções bem mais antigas conforme pesquisas científicas depois puderam revelar no século XX .

Não obstante, apesar de toda refutação o fato é que até hoje é possível encontrar gente que alegue ser ´´druida´´ pelo mundo afora e mesmo Stonehenge acabou virando destino de peregrinação mística para muitos onde volta e meia pessoas até hoje se reúnem ´´fantasiadas´´ para que supostamente possam celebrar o que julgam ser rituais antigos na vã suposição que estão reproduzindo uma tradição milenar .

4 Comments:

Anonymous Anônimo said...

certamente o autor tbm considera que o papa, seus bispos, cardeais, padres, etc, celebram seus ritos fantasiados, ñ é?
ou identifico no texto um típico preconceito religioso? (inadmissível, visto a proposta do site)

12:52 PM  
Blogger Ioldanach said...

Não havia necessidade em postar na condição de anônimo, já que qualquer comentário é tratado aqui com plena civilidade.

No caso da indumentária religiosa católica , ficando atrelado ao caso que cita, existe como estabelecer um nexo causal que explique e justifique cada peça dentro do contexto do rito sacro celebrado.

No caso do druidismo ( ou melhor neo-druidismo já que o primeiro não mais existe ) tudo é fruto da imaginação pura e simplesmente daquele que se coloca como sendo pretensamente na condição de druida e fictamente celebra ritos que supôem ser druidicos.

Vou ver se debato mais sobre o assunto na comuna Canal Celta no Orkut e o colega ´´anônimo´´ está convidado a participar mesmo não concordando uma linha com o que argumente.

7:49 AM  
Anonymous  said...

Digamos, pois, que em parte o artigo está correto. É inegável o fato de o druidismo ter sido duramente perseguido pelos Imperadores Romanos -mais precisamente Julius Caesar-. É óbvio tambem que os unicos documentos datados e REAIS são os romanos, porém, estes documentos NAO apresentam qualquer forma de ritual, apenas a certeza que o neo-druidismo é um dos ramos do paganismo. EU, particularmente, aconselho ao leitor desse artigo que NÃO swe baseie apenas nisto e que sempre procure mais informaçoes, para que nao forme opinioes precipitadas.
O fato de o druidismo ter sido massacrado não significa que rituais praticados pelos neo-druidas são necessariamente falsos. DEVE ser tomado por charlatao ou falso aquele que se diz Druida nato. Porém, não se deve generalizar. O paganismo entre os povos tem sim suas semelhanças notaveis e, essas semelhanças foram unidas aos documentos datados por Juliu Caesar, daí nasce o neo-druidismo.

Os neo-druidas nao sao druidas, são apenas aqueles pagãos com o desejo de celebrar os rituais aos deuses celtas e celebrar a natureza.

Não culpe todos pelo erro de uns ;D

Qualquer duvida:
sacred.oak@hotmail.com

;D

12:35 PM  
Blogger Ioldanach said...

Ocorre que Júlio César nunca foi Imperador de Roma.Justamente o sobrinho-neto de César ( Otávio Augusto ), a quem coube a condição de primeiro imperador, é que inaugurou a perseguição oficial ao druidismo nos dominios romanos.

Júlio César sim foi autor do que considerada uma fonte clássica sobre os celtas , porém, seu contato foi restrito a druidas da Gália que já eram bastante aculturados em seus costumes já ao seu tempo e o que fala sobre o tema é bastante genérico.

A questão básica é que NÃO EXISTE FONTE ALGUMA que possa dizer em detalhes como eram os rituais druidas, principalmente o que é contemporaneo àquela época é derivado de observações de terceiros que não druidas ( gregos ,romanos e por fim mais adiante a Igreja )

Neste contexto, somando ainda a extinção do druidismo nas origens de maneira completa, os rituais praticados pelos neo-druidas são necessariamente ´falsos´ ou no minimo bem fantasiosos

Ainda completando ´´os documentos datados´´ por Júlio César que cita Dú não dizem respeito as possíveis semelhanças entre culturas pagãs da época e tampouco nisto que surge o neo-druidismo. - De Bello Gallico, por exemplo, diz respeito principalmente sobre as chamadas Guerras Gálicas.

Para qualquer maior dúvida a comunidade Canal Celta no Orkut está aberta para debates

Aconselho ainda uma leitura do tópico no blog de título ´´ O Fim do Druidismo´´ em :

http://worldceltic.blogspot.com/2007/04/o-fim-do-druidismo.html

12:01 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home